in , ,

Homebrew – Como fazer o envase da cerveja

Agora que produzimos nossa cerveja, já está fermentada e maturada, é só beber, certo? Pois é, ainda não! O envase da cerveja também é uma parte muito importante no processo de fabricação da cerveja, principalmente porque é nele que se dá a carbonatação,seja por meio de uma fermentação extra na garrafa ou a carbonatação forçada. Vamos explicar um pouco mais sobre cada um aqui.

Fermentação na Garrafa:

Esse é o método mais comum entre os homebrewers, pois não exige nenhum equipamento adicional e envase da cerveja pode ser feito tanto em garrafas quanto em barris. O intuito aqui é alimentar o que restou de levedura viva para que ela continue a trabalhar e dessa vez nos presenteie não mais com álcool, mas com gás carbônico. Durante a fermentação tradicional, por conta do airlock aliviamos a pressão criada pelo CO2 da levedura e por isso a cerveja não tem gás. Agora, dentro da garrafa, temos a possibilidade de criar essa pressão pois a garrafa (ou barril) estará fechada.

>> Homebrewing: Como fazer a maturação da sua cerveja <<

Realizar esse tipo de carbonatação é simples, basta dar mais alimento à suas leveduras (o priming). Via de regra utiliza-se açúcar invertido numa proporção de aproximadamente 6g por litro de cerveja. Eu gosto de fazer uma troca de fermentador para eliminar todo o resíduo que sedimentou da maturação e então faço a mistura do açúcar no fermentador para depois realizar o envase. Há quem prefira utilizar um sachê de açúcar (desses de cafeteria) para cada garrafa de 600 ml. Cerca de 10 dias em temperatura ambiente é o bastante para carbonatar de acordo sua cerveja, mas fique atento às quantias de priming e tempo para diferentes estilos (Bitters por exemplo pedem menos carbonatação, Weiss pedem mais).

Carbonatação forçada:

É a forma mais rápida de se carbonatar uma cerveja, porém exige mais equipamento. Aqui você precisará obrigatoriamente de um barril. Com o auxílio de um cilindro de CO2, mangueiras, manômetro e válvula extratora, injeta-se a quantidade desejada de CO2 do cilindro para o barril.

As maiores vantagens desse método:

  • Muito mais rápido (em um dia já se tem a cerveja carbonatada);
  • Precisão na quantidade de CO2 injetado;
  • Não necessita de ingredientes adicionais como o priming.

Algumas dicas para uma boa carbonatação forçada:

  • Sempre lembre-se de fechar a saída de cerveja para não tomar um banho durante o processo!
  • Quanto mais gelada estiver a cerveja, mais rápida e eficiente será a absorção do CO2.
  • Agitar o barril também ajuda a aumentar a absorção de CO2.

Agora sim temos uma cerveja finalizada! A todos que seguiram até aqui, desejo uma boa brassagem e um brinde!

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

O QUE VOCÊ ACHOU?

Escrito por Fred Banionis

Homebrewer, sommelier de cerveja e produtor audiovisual. Amante de harmonizações e caçador de novas experiencias.

Em busca do modelo de negócio ideal – a fusão como caminho rentável para as cervejarias

Cerveja Havana Dreams – A Bière Blanche do Clube do Malte